Oito razões do porquê não lemos a Bíblia Sagrada

Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos.

2 Timóteo 4:3

Não é segredo que a alfabetização bíblica está em declínio.

Todo grande pesquisador em tendências de fé parece estar reportando isso. Mas por quê?

A Bíblia é nossa única linha de vida imutável para nossa fé.

Suas palavras são a mais verdadeira e mais transferível expressão de Deus. De muitas maneiras, as palavras da Bíblia são as mais próximas que podemos chegar ao nosso Criador e a única maneira pela qual a fé é transferida de uma geração para outra. O texto da Bíblia está vivo. Então…

• Por que nos contentamos removê-la de nossas vidas?

• Por que não estamos nos encontrando com Deus através da Sua palavra? Aponto neste artigo os principais motivos para isto:

1. A Bíblia se tornou opcional.

Afinal, temos TV, internet e muitas vozes “sábias” divulgando respostas. A mensagem da fé foi simplificada com expressões banais: ame a Deus, ame as pessoas.

Por que preciso ler aquele livro empoeirado quando tenho uma sinopse de quatro palavras?
Muitas pessoas vêem mais versículos das escrituras nos memes do Facebook do que na Bíblia. E para eles, o Facebook substitui a Bíblia.

Acreditamos que pelo fato de lermos versículos isolados nas redes sociais, ou em grupos de Whatsapp, isso substitui a leitura da Palavra.

2. Muitos líderes da igreja não esperam que leiamos a Bíblia.

Eu não disse que os líderes não querem que as pessoas leiam a Bíblia, eles não esperam isso. Quando nossos filhos eram bebês e crianças não esperávamos que eles se alimentassem,ou sequer soubessem como.

Então nós os alimentamos com pequenas porções de comida para o bebê. Eventualmente, esperávamos que eles se alimentassem e até fizessem suas próprias refeições.

Pastores expositores se contentam em alimentar com uma colherada de cada vez. Os pastores que pregam temáticas gostam de trazer um cardápio favorito do mês.

Ambos têm um lugar, mas não deveríamos ser encorajados (e esperados) a fazer alguma alimentação em casa?

Os professores universitários esperam que seus alunos leiam o livro didático fora da sala de aula. Mas muitos pastores não esperam o mesmo de seus rebanhos.

3. Tudo o que ouvimos é missão e visão.

Uma conseqüência não intencional da marca da igreja e das declarações de missão é a pregação constante da visão e o financiamento da missão.

Em um número crescente de igrejas a visão substituiu o discipulado. O ABC (Presença, Batismos, Dinheiro) é mensurável… o crescimento espiritual (e alfabetização bíblica) é difícil de avaliar.

Mesmo quando o “discipulado” é programado,não há ênfase na leitura pessoal da Bíblia.

4. A Fé e o Google

Podemos usar o Google sempre que precisamos de um versículo específico da Bíblia que nos conforte, que nos traga alívio, sempre que quisermos.

Milhares de pessoas estão baixando aplicativos da Bíblia e isso deve ser celebrado, mas minha pergunta é com a acessibilidade às escrituras subindo a cada dia, por que a fé e o engajamento bíblico estão declinando?

Como podemos sempre pesquisar no Google a Bíblia quando “precisamos” dela raramente lemos como um livro.

Para alguns, até mesmo pensar sobre aquele livro encadernado em couro desencadeia lembranças de falhas pessoais. E quem quer ser lembrado disso?! Se você já tentou uma leitura da bíblia em um ano, sabe do que estou falando.

5 . Fracasso

Para outros, experiências decepcionantes e confusas que lêem a Bíblia provocaram a resignação (mantenha esse livro longe de mim).

Enfim uma mistura de não conseguir ler por completo todo o livro com o fato de não ter o entendimento de todas as partes, leva alguns a uma frustração.

6. Seus pais não lêem a Bíblia

A leitura da Bíblia é contagiante. Quando ouvimos alguém falando das histórias e como elas nos tocam profundamente e ainda como Deus nos falou através dela, ficamos inclinados a ler Bíblia.

Se dentro de casa os familiares não lêem haverá pouca motivação para os filhos terem um relacionamento com essa Palavra. Se você desistiu, eles podem nunca começar.

7. Bulling Bíblico

Os crentes sinceros costumam dizer, aberta e veladamente, que não são espertos ou educados o suficiente para entender verdadeiramente a Bíblia.

Soa como algo que Martin Luther criticou há alguns anos! Ele passou a traduzir uma versão da Bíblia em sua língua para que mais pessoas pudessem lê-la.
Como outros antes e depois ele foi perseguido por dar um livro tão elevado a pessoas humildes.

Hoje em dia, alguns autores best-sellers dizem a seus seguidores que, sem o benefício uma educação elevada e conhecimento do “contexto histórico”, não podem entender a Bíblia.

8. Paulo previu que você não iria ler.

Ok, o apóstolo Paulo não previu que você não iria ler. Mas ele previu que muitos encontrariam alternativas mais divertidas. Quando Paulo diz “segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos”, está afirmando que muitos deixariam a Palavra de lado e achariam mestres melhores, como as redes sociais.

Um motivo para ler a Bíblia

Recomeço

• Josué iniciou a leitura assim que cruzou o rio Jordão. (Josué 8)

• O rei Josias ordenou a limpeza quando o livro coberto de poeira da lei foi descoberto no templo. (2 Reis 22)

• Esdras e Neemias instituíram algumas sessões de leitura de recomeço quando reconstruíram o templo e as paredes. (Neemias 8)

Todos nós precisamos da Palavra – novas oportunidades para recarregar nossas baterias de fé.

Autor:

Paulo Baeta (Canal Apologético)


			

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s