Tolo quem culpa a Deus por todas as mazelas da sociedade e por conta disto, não crê nEle

Diz o tolo em seu coração: “Deus não existe! ” Corromperam-se e cometeram injustiças detestáveis; não há ninguém que faça o bem.

Sl 53:1

Existem muitos motivos pelos quais os ateus não creem em Deus, mas poderíamos citar pelo menos dois grandes motivos de vertentes opostas, mas que conduzem a este mesmo  pensamento. A negação de um Deus que se relacione com sua criatura.

O primeiro é a ideia de que Deus é culpado por todos os males que existem. Estes acreditam que a pobreza, a miséria, as desgraças humanas bem como as tragédias, tudo isto é causado por um Deus que, se existe, e é mal, pois inflige ao homem todo sofrimento e dor. A segunda ideia, ou pensamento é a de que Deus não é culpado pelo mal, mas o permite, e ao permiti-lo, uma vez que possa impedir que ocorra, posto que é Deus, então, ele é tão mal como os males que permite. Assim, se ocorrem tragédias, o tolo se pergunta: onde estava Deus que não viu? Diante de situações desesperadoras, a primeira coisa que fazem é perguntar o que Deus estava fazendo que não impediu este ou aquele ato. O fato é que todos estes dois pensamentos levam a apenas uma resposta. Se ele faz com que estes males aconteçam, ou se ele permite que eles ocorram, então ele não pode ser Deus, logo ele não existe.

Contudo, o salmista Davi chama esta pessoa de tolo e ele é tolo não por não acreditar na existência de Deus, uma vez que isto só poderia ser provado a partir da fé, coisa que nem todos possuem; mas por creditar a Deus atos que não são da sua alçada ou sobre os quais Deus não teve nenhuma interferência.

Deus não faz o mal ao homem. Não é sádico nem tem prazer no sofrimento humano, muito pelo contrário, deu seu próprio filho para que fossemos salvos. Ele também não permite que o mal aconteça por ser fraco e, ou inoperante, mas justamente pelo motivo contrário, ele é tão forte a ponto dele mesmo sofrer o mal praticado pelo homem. Na verdade, todo mal que temos hoje não é culpa de Deus, mas do próprio homem.

A pobreza, a miséria, a violência e tantos outros males são produtos de um coração longe de Deus. Por isto os salmista adverte sobre a ‘loucura” daqueles que julgam a não existência Deus, quando na verdade, não o conhecem, nem sabem seus feitos.  Ele não percebe que ao presumir a não existência de Deus, ele mesmo se torna agente da maldade no mundo, aumentando o sofrimento sobre a humanidade que ele mesmo compõem. Assim, ele pensa poder cometer a injustiça e o dano, pode viver sua vida sem a interferência de um ser que julgue ou o puna pelos seus feitos. Não havendo este juiz, então a maldade pode ser cometida.

É tolo, porque ao julgar a não existência de Deus, age como se pudesse fazer o que bem pensa sem respeitar o próximo nem a si mesmo, não entendo que Deus existe a despeito do pensamento e juízo que homem possa fazer dele. O fato de um réu não acreditar no juiz nem no tribunal não anula a sua sentença final. 

Extraído do livro: Café Com Deus, do Pr. Júlio César Medeiros

Se Você tem chamada para o diaconato, faça seu curso com o Pr. Júlio César Medeiros

Se este texto te foi útil, compartilhe com alguém, dê uma estrelinha e assine pra receber mais notificações.

Avaliação: 1 de 5.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s