A Reforma da Previdência gerará mais injustiça e nos levará à legalização da escravidão moderna

Tendo em vista as várias críticas que surgem a Reforma da Previdência, não posso me furtar a usar este espaço para tentar pensar com os leitores sobre os impactos desta proposta que, a meu ver, significará um aprofundamento das desigualdades Sociais e a legalização da escravidão moderna.

Vamos a ela, em seus pontos mais importantes, na data deste carnaval, ou seja na semana de 11 a 12 de fevereiro de 2018. Os dados aqui postados foram retirados da fala do professor de Direito Previdenciário, André de Oliveira que postou vídeo no YouTube analisando os principais pontos da reforma como está para ser votada:

1. A a extinção o fim da aposentadoria por tempo de contribuição

segurados do INSS ou seja a população como um todo que antes tinha o direito de se aposentar com 35 anos de tempo de contribuição se homem e 30 anos de contribuição se mulher simplesmente não mais terão esse direito o que significa dizer que se uma pessoa começa a trabalhar aos 16 anos de idade se for um homem só irá se aposentar aos 65 anos de idade e, se for mulher só irá se aposentar aos 62 anos de idade. Praticamente praticamente 50 anos de trabalho. Meio Século!

Talvez, segundo o professor, nem se aposentará, por conta de um “gatilho de idade” no texto que prevê que, caso a expectativa de vida aumente, a idade mínima também seja acrescida de mais um ano.

2. Mudança no critério para o cálculo da aposentadoria

Gráfico do cálculo da aposentadoria pelo INSS

hoje e um homem se aposentasse aos 65 anos de idade ele possuísse mínimo de 15 anos de contribuição ele se aposentaria com 85%. A partir de agora na proposta da reforma ele vai se aposentar com 60% do valor ou  seja, houve uma perda considerável de 85 caiu para 60 por cento o que significa dizer que a partir de agora alguém. Os trabalhadores que estão na economia informal geralmente não conseguem comprovar, fazendo com que eles não consigam se aposentar com 100 por cento.

 

3. A  idade mínima para os trabalhadores do campo de 60 anos para a homem e 55 para mulher

O que parece uma vitória ter mantido, mas na prática traz um outro problema: estabeleceu-se um tipo de segurado especial que aquele trabalhador do campo que exerce atividade para si, uma pequena economia familiar, não serve para comprovação de tempo. Se antes ele precisava comprovar apenas o tempo de exercício de atividade rural. Agora ele tem que comprovar  15 anos de contribuição. Caso contrário, mesmo que atinja a idade mínima ele não aposentará.

 

 

4. Professor passa a ter uma idade mínima de 60 anos para se aposentar

Antes uma professora que começou a lecionar aos 20 anos de idade, com 25 anos de tempo se apresentava e o professor com 30 anos detendo independentemente da idade a partir de agora tanto o professor quanto professora terá que possuir no mínimo 60 anos de idade.

5. Fim do acumulo de Pensão e Aposentadoria.

Antes quando alguém do casal falecia, a viúva ou viúvo podia acumular a pensão do da falecido, agora, o teto passa a ser 2 salários mínimos, ou seja, será o vivo teria que viver com metade do que recebia, sendo que todos os gastos diários continuam.

 

6. Os detentores de cargos eletivos poderão manter o regime anterior, antes da Reforma da Providencia

Comissão aprova o texto base da Reforma

Este é mais um disparate, um cúmulo, está no artigo 8º desta famigerada Reforma que os parlamentares manterão as suas aposentadorias como estão. Mas a ideia não era unificar?Por todos estes motivos não posso me furtar a comentar e alertar que tal reforma será um retrocesso para o nosso povo. Que justiça social é esta?

Tudo isto me faz pensar que, de fato, a escravidão no Brasil não acabou e que o preço a ser pago pelos nossos filhos e netos será cobrado da covardia em gritar. Não somos mais escravos de minguem.

Critica à Reforma pela Escola de Samba Paraíso de Tuiti

A critica a este estado de coisas explodiu na Marques de Sapucaí neste carnaval. A Paraíso de Tuiti levou às lágrimas a plateia ao questionar a tal abolição e todas as reformas que só prejudicam os trabalhadores. Não brinco carnaval por minhas convicções religiosas, mas não posso negar que esta critica, vinda do povo é extremamente legitima tendo em vista a situação que o nosso país se encontra. Parabéns a Tuiti pela coração de gritar: Não sou escravo de nenhum senhor!

 

 

 

By Júlio César Medeiros

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s